Ed Gein : O Homicida que mudou o Cinema

Três grandes clássicos do terror:  Psicose, O Silêncio dos Inocentes e O massacre da serra elétrica são ligados por um único homicida, Ed Gein

 

ATENÇÃO

Post sugerido para maiores de 18 anos.

Edward Theodore Gein, mais conhecido como Ed Gein, foi um homicida e também ladrão de lápides americano. Gein foi condenado pelos homicídios de duas pessoas, e suspeito no desaparecimento de outras 5 pessoas. Os seus crimes ganharam notoriedade quando as autoridades descobriram que Gein exumava cadáveres de cemitérios locais e fazia troféus e lembranças com eles.

 

Edward era filho de George P. Gein e Augusta Lehrke, ambos do Wisconsin. E tinha um irmão mais velho chamado Henry G. Gein.

Augusta não deixava estranhos interagirem com os seus filhos: Ed frequentava a escola, mas a sua mãe impedia qualquer tentativa dele de ter amigos.

Quando não estava na escola, dedicava-se a pequenas tarefas na fazenda.

O pai de Gein morreu em 1940, vítima de um ataque cardíaco

A 16 de maio de 1944 um incêndio deflagrou perto da quinta dos Gein. Os dois irmãos foram ajudar a apagá-lo. Enquanto a noite caía, Ed e Henry separaram-se. Quando o fogo foi extinto, Ed informou a polícia que o seu irmão tinha desaparecido. Foram organizadas buscas. Ed conduziu-os diretamente ao irmão, que estava morto no chão. A polícia teve dúvidas quanto às circunstâncias da descoberta do corpo, uma vez que o sítio onde Henry se encontrava não estava queimado e este tinha manchas pretas na cabeça. Apesar disso, a polícia não descartou a possibilidade de homicídio. Mais tarde a polícia descobriu que a causa da morte foi asfixia.

Augusta morreu em 29 de dezembro de 1945. Gein ficou completamente sozinho e permaneceu na quinta. Deixou todos os cômodos da casa tal como a mãe tinha deixado, e começou a viver num pequeno quarto ao lado da cozinha. Ed só utilizava esses dois cômodos.

Logo após a morte de sua mãe, Ed Gein desenvolveu interesse na anatomia do corpo feminino e começou a ler revistas de culto à morte. O que mais o interessou foram às atrocidades dos nazistas, em particular, experiências médicas realizadas em pessoas nos campos de concentração. Seu interesse na anatomia foi tanto, que dentro de poucos anos, ele começou a visitar vários cemitérios e exumar cadáveres femininos frescos. Começou a dissecá-los e manter algumas das partes do corpo, incluindo a cabeça, os órgãos sexuais e os órgãos internos ocasionais (coração, fígado, intestinos, etc).

Seu maior interesse estava em vaginas. Ele cortava e tinha uma imensa satisfação de usar calcinha, com a vagina que retirara da vítima.

Como sua obsessão aumentava, ele não estava mais satisfeito com cadáveres, então começou a buscar por vítimas.

A polícia suspeitou do envolvimento de Gein no desaparecimento de Bernice Worden, em 16 de novembro de 1957. Entraram na propriedade de Gein à noite e descobriram o cadáver de Worden. Ela tinha sido decapitada, o seu corpo estava suspenso de pernas para o ar, os seus tornozelos estavam presos a uma viga. O seu tronco estava vazio, as suas costelas estavam separadas, tal como um veado. Estas mutilações ocorreram depois da sua morte, causada por vários tiros.

Depois de revistarem a sua casa, encontraram:

  • Crânioshumanos empilhados sobre um dos cantos da cama;
  • Peletransformada num abajur/quebra-luz e usada para estofar assentos de cadeiras;
  • Peitosusados como seguradores de copos;
  • Crâniosusados como tigelas de sopa;
  • Um coraçãohumano (o local onde se encontrava é alvo de discussões: alguns afirmam que estava numa panela no forno, outros que estava num saco de papel);
  • Peledo rosto de Mary Hogan, proprietária da taberna local, encontrado numa bolsa de papel;
  • Puxador de janela feito de lábioshumanos;
  • Cinto feito com mamiloshumanos;
  • Meias feitas de pelehumana;
  • Bainha de pelehumana;
  • Caixa com vaginas, que Gein confessou usar;
  • Cabeças prontas para exposição ordenadas

Várias crianças da vizinhança, das quais Gein ocasionalmente tomava conta, tinham visto as cabeças que Ed descrevera como relíquias dos Mares do Sul, enviados por um primo que tinha servido na Segunda Guerra Mundial. A investigação policial concluiu que eram peles faciais humanas, cuidadosamente tiradas de cadáveres e usadas por ele como máscaras.

Gein confessou ter desenterrado várias sepulturas de mulheres de meia idade, que se pareciam com a sua mãe. Ele levava-as para casa, onde bronzeava as peles, um ato descrito como insano ritual. Gein negou ter tido relações sexuais com os cadáveres, porque, segundo ele, estes “cheiravam mal”. Ele também admitiu que matou Mary Hogan, desaparecida desde 1954. Pouco depois da morte da sua mãe.

Gein quis uma mudança de sexo. Ele criou uma woman suit (roupa de mulher), vestia a pele das vítimas para se designar mulher.

Após sua prisão, Ed Gein passou 10 anos em um hospital psiquiátrico. Foi dado como mentalmente incapaz e mandado para o Central State Hospital, que mais tarde se tornou numa prisão. Ele foi transferido para Mendota State Hospital em Madison, Wisconsin. Em 1968, médicos declararam que ele estava são o suficiente para ir ao tribunal. O julgamento começou a 14 de Novembro e durou uma semana. Ele foi considerado não culpado devido à insanidade. Ed passou o resto dos seus dias num hospital psiquiátrico.

Ed morreu em 26 de Julho de 1984, vítima de um câncer ,no hospital Mendota Mental Health Institute.

A sua lápide tem sido vandalizada ao longo dos anos, algumas pessoas retiravam pedaços para recordação, até que ela foi completamente roubada em 2000. Foi recuperada em Junho de 2001 e dada a um museu em Wautoma, Wisconsin.

Ed Gein foi um esquizofrênico sociopata sexual que mudou o mundo do cinema.

 

Veja também : Vídeo

 

Fonte

 

Comentários

Deixe uma resposta