Furtos em estações, um breve relato

Segue abaixo um caso chatinho que aconteceu comigo um dia desses…

São Paulo, quinta feira, 13 de fevereiro de 2020 – 18:20
Estação de trem CPTM Luz, plataforma da linha 11 coral.
O trem para na plataforma e é aquele empurra empurra, pessoas desesperadas para entrar e sentar, enquanto avançava tentando não me envolver no tumulto sou jogado pra dentro do trem, nisso acabo segurando minha mochila para não esbarrar nas pessoas a frente e sinto o meu celular sendo puxado do meu bolso, me viro e a porta do trem estava fechando! “Lascou”, pensei por um breve momento e enquanto as pessoas falavam que era um vendedor ambulante que havia furtado meu aparelho eu pensava em como faria pra recupera-lo pois tinha senha e, não obstante, dois apps de segurança! Pensei em descer na estacão Brás pra proceder com a recuperação mas me falaram que o ladrão não tinha conseguido sair do trem, o procurei mas estava muito lotado e não obtive sucesso, então desci no Tatuapé, achei uma rede wifi e comecei a rastrear o aparelho enquanto fazia aquele boletim online.
Aplicativo do Google “Encontrar seu smartphone” – Sem sucesso, aplicativo LookOut security – Sem sucesso. Tentativas de localizar o aparelho sem sucesso. Assim que aceitei que havia perdido o celular para algum meliante comecei a me fazer os seguintes questionamentos: Por que não havia um segurança sequer na plataforma? Pra que servem as câmeras na plataforma e nos trens sendo que eles ignoram os chamados e não deixam ver e identificar esse tipo de ocorrência? Como pode um aplicativo do Google falhar num momento tão crítico? O aparelho, embora de 2017, tinha configuração generosa e funcionava muito bem. O mais frustrante é que além do meu caso tenho noção entre mais 3 casos similares entre conhecidos (INCLUINDO UM NO MESMO DIA!). Ficam esses questionamentos e vou pontuar item por item, começando pelos apps de segurança.

Leia mais… »

GCM agride skatistas em São Paulo

Um vídeo postado na internet mostra uma confusão entre skatistas e guardas civis metropolitanos na Praça Roosevelt, na região central de São Paulo, ocorrida na sexta-feira. Nas imagens publicadas no Youtube, um guarda à paisana realiza um estrangulamento em um dos jovens que estão na praça e também usa spray de pimenta contra os outros skatistas, juntamente com outros guardas.

A Secretaria de Segurança Urbana, responsável pela Guarda Civil Metropolitana, divulgou nota nesta segunda-feira (7) informando que afastou os profissionais envolvidos e que eles serão ouvidos pela Corregedoria Geral da Guarda Civil Metropolitana. Serão adotadas as providências cabíveis, segundo a secretaria, sem especificar quais seriam. Dois guardas-civis foram afastados, entre eles o que aparece à paisana no vídeo.

O vídeo foi feito pelo skatista Eduardo Régis, de 22 anos, que também frequenta o local. Ele explica que as abordagens dos guardas aos skatistas tem sido frequentes pelo fato de eles usarem os bancos para a prática do esporte. Foi o que aconteceu na sexta-feira, segundo Régis, quando duas GCMs pediram que jovens que andavam de skates parassem com a atividade sobre os bancos. Elas foram atrás dos skatistas e um outro jovem chegou para conversar, segundo Régis. Elas, então, teriam pedido reforço, e esse jovem que argumentou recebeu o estrangulamento do GCM que aparece no vídeo sem uniforme, à paisana. No vídeo, Eduardo aparece sofrendo insultos deste guarda à paisana.

Se quiser ver a reportagem inteira: G1

Mas essa não é a primeira vez que o GCM aparece na tv por agressão

Via  AnonymousBrasil

Via  Realidade Imunda

Luciano Medeiros, um dos GCM’s que agrediu os skatistas começa ficar famoso…tem mais esta dele…

30/10/2012 20h28

Blitz da guarda civil gera confusão no centro de São Paulo
Uma blitz realizada pela guarda civil de São Paulo provocou confusão no centro da cidade, nesta terça-feira (30). Um camelô não gostou da ação e foi imobilizado. Pedestres que estavam perto do local reclamaram da abordagem dos guardas.

LINK DA REPORTAGEM: UOL