Ed Gein : O Homicida que mudou o Cinema

Três grandes clássicos do terror:  Psicose, O Silêncio dos Inocentes e O massacre da serra elétrica são ligados por um único homicida, Ed Gein

 

ATENÇÃO

Post sugerido para maiores de 18 anos.

Edward Theodore Gein, mais conhecido como Ed Gein, foi um homicida e também ladrão de lápides americano. Gein foi condenado pelos homicídios de duas pessoas, e suspeito no desaparecimento de outras 5 pessoas. Os seus crimes ganharam notoriedade quando as autoridades descobriram que Gein exumava cadáveres de cemitérios locais e fazia troféus e lembranças com eles.

 

Edward era filho de George P. Gein e Augusta Lehrke, ambos do Wisconsin. E tinha um irmão mais velho chamado Henry G. Gein.

Leia mais… »

Conheça Wonderland -” Parque Fantasma” na China

Imagine um parque nos moldes da Disneylândia,mas completamente abandonado…

 É exatamente esse cenário que você pode encontrar ao visitar a Wonderland (“Terra das Maravilhas”), a 32 quilômetros de Pequim, na China. No local, é possível encontrar vestígios do que seria o maior parque temático da Ásia, cuja construção foi interrompida em 1998 após divergências entre os construtores e o governo chinês. O resultado é uma gigantesca área abandonada.

Veja algumas fotos:

Notícia Tensa da Madrugada: Imigrante se esconde em assento

 Imigrante se esconde em assento de van na tentativa de entrar nos EUA

Com a imigração no centro das discussões das primárias do Partido Republicano, o Serviço de imigração e Naturalização dos EUA divulgou uma foto antiga que mostra um imigrante ilegal que se escondeu no interior do assento de uma van na tentativa de entrar no país.
O mexicano Enrique Aguilar Canchola, então com 42 anos, foi flagrado em 7 de junho de 2001 escondido no assento do veículo. O disfarce foi descoberto por agentes de imigração na entrada de San Ysidro, na divisa entre San Diego (EUA e Tijuana (México).

WHAT????
HAHAHAHAHAHAHA

Alimentos mais perigosos do Mundo.

Aqui estão alguns dos alimentos mais perigosos do mundo!!!

Fugu 
Esse peixe típico da culinária japonesa, conhecido no Brasil como baiacu, requer muita habilidade do cozinheiro – além da coragem do consumidor para comê-lo. Por ter uma grande quantidade de tetrodotoxina, um veneno que bloqueia os potenciais de ação nos nervos, ele precisa ser preparado com muita precisão, para que a carne não fique completamente contaminada.
No Fugu, as partes mais cheias de toxinas são o fígado, a pele e os órgãos reprodutores. Se o corte for feito corretamente, o restante da carne fica bom para consumo. Como essa tarefa não é fácil, todos os restaurantes que servem essa iguaria, no Japão e em vários outros países, estão sempre sob a vigilância rigorosa dos órgãos de saúde.


 Sabugueiro

As pequenas flores brancas, de cheiro agradável, do sabugueiro escondem um potencial perigo. É que seus galhos, ramos, folhas, sementes e raízes contém uma substância que, quando ingerida, induz o organismo a produzir a toxina cianeto, cuja dose de 0,5 a 1,0 miligrama pode matar uma pessoa.

Apesar do risco, os frutos maduros dessa árvore são comestíveis e, se feito com muita cautela, é possível preparar chá com suas folhas, e xarope, caldas, vinhos, licores e compotas com suas flores e frutos.

Queijo Casu Marzu

Esse queijo é tão perigoso que se tornou ilegal na Sardenha, região da Itália onde é produzido, e agora só transita pelo mercado negro local. O Casu Marzu é feito com leite de ovelha e larvas vivas de mosca. Isso mesmo. Os produtores colocam as larvas na receita para ajudar a fermentar o queijo e torná-lo mais macio. Mas, sem um controle muito rígido de qualidade, as larvas podem intoxicar os consumidores.

Se não retirar as larvas antes de comer, a pessoa corre o risco de sofrer com uma infecção intestinal, com náuseas, vômito, dor abdominal e diarreia com sangue. Isso acontece porque os bichos sobrevivem ao ambiente estomacal e seus ganchos bucais podem machucar as paredes do estômago e do intestino. 

Sapo-boi da Namíbia

Apesar de possuir veneno distribuído em seus órgãos e pele, essa rã africana é considerada um verdadeiro manjar na Namíbia e outros países do continente. Se preparado sem o devido cuidado, o veneno, chamado Oshiketakata, pode provocar insuficiência renal e até morte.

Para evitar intoxicações, a época mais indicada para capturar a rã é após a estação de acasalamento, quando os sapos começam a coaxar mais.

Ackee

Por fora, a fruta jamaicana chamada Ackee parece inofensiva, mas, por dentro, é um campo minado. A parte interna comestível, usada em pratos típicos do país, é uma massa amarela que envolve sementes pretas altamente venenosas.

Além disso, quando ainda não está madura, essa fruta apresenta uma toxina que pode provocar hipoglicemia, desidratação, convulsões, coma e até a morte.

Ruibarbo
Usado na culinária para fazer sobremesas e como remédio fitoterápico, o Ruibarbo pode também ser perigoso. Suas folhas não podem ser ingeridas em nenhuma hipótese. Isso porque elas possuem grande concentração de ácido oxálico, um componente corrosivo e tóxico para os rins, que, dependendo da quantidade, pode até matar
Peixe-pedra

Muito comum nas águas rasas do Pacífico, o peixe-pedra tem sido consumido como uma iguaria, denominada Okoze, apesar de possuir 13 espinhas dorsais cheias de veneno neuro-tóxico. Mas o grande risco que ele apresenta não é para quem come, mas para quem prepara esse prato.

Não importa como será servido, o chef que manuseia esse peixe precisa ter cuidado redobrado para não se espetar com uma das espinhas venenosas, já que esse animal consegue sobreviver fora d’água por até 24 horas.

Fonte